20.7.05

Da Unicamp ou Meu Futuro ou Seis Meses À Procura De Um Fim ou Me Ensina A Não Andar Com Os Pés No Chão

Olha
Será que ela é moça
Será que ela é triste
Será que é o contrário
Será que é pintura
O rosto da atriz
Se ela dança no sétimo céu
Se ela acredita que é outro país
E se ela só decora o seu papel
E se eu pudesse entrar na sua vida

Olha
Será que é de louça
Será que é de éter
Será que é loucura
Será que é cenário
A casa da atriz
Se ela mora num arranha-céu
E se as paredes são feitas de giz
E se ela chora num quarto de hotel
E se eu pudesse entrar na sua vida

Sim, me leva para sempre, Beatriz
Me ensina a não andar com os pés no chão
Para sempre é sempre por um triz
Ai, diz quantos desastres tem na minha mão
Diz se é perigoso a gente ser feliz

Olha
Será que é uma estrela
Será que é mentira
Será que é comédia
Será que é divina
A vida da atriz
Se ela um dia despencar do céu
E se os pagantes exigirem bis
E se um arcanjo passar o chapéu
E se eu pudesse entrar na sua vida

Era uma vez, em algum lugar distante do mundo, um lava rápido que também era lanchonete.

A Terra do Nunca...? Oh...!

Um lugar em que se faz ARTE. Alguém tem alguma idéia do que seja isso? É talvez o paraíso. É talvez a coisa mais sublime que possa existir. Um lugar que existe exclusivamente para a realização de Arte. ESSE é o sentido da vida. E na vitrola, a voz de uma negra robusta americana cantando, cantando... A noite que ele não veio foi... foi de tristeza pra mim.

Argh, e a dor de deixar um lugar desses? O lugar em que se encontrou o sentido da vida? Mas agora já parece tão – tão dista-ãnte! Os pés já voltaram a se colocar firmemente no chão e começam a recriar suas raízes destruídas pela canção. Férias quais?
E o teatro DAQUI...

Argh...!

“Se é pra eu me sentir sozinho, o melhor é sentir isso aqui. Sozinho.” Mas acho que isso ficaria melhor no outro post.

Por um lado, mentiras, sacanagens, imaturidades, opacidades, babaquices, falta de qualidade. Por outro, mimagens, surdices, idiossincrasias, ordens, babaquices, falta de qualidade. Por outro, meninices, superficialidade, inumeridades, “organização”, babaquices, falta de qualidade.
Já no ano passado.
Será que no fundo sou EU? E se for, como fica a Unicamp? Será possível fazer isso se eu não consigo nem fazer teatro aqui, onde deveria ser mais fácil, menos trabalhoso? Como fazer isso na minha vida?

Ah, mas dá, mas dá...

Eu me prometi agüentar esses seis meses. Afinal são só seis meses. Mas não adianta dizer pra mim mesmo – peraí, logo mais melhora, são só seis meses. A merda e a dor e o ódio são AGORA...
E se não for seis meses? E se for um ano e seis meses? E se forem dois anos e seis meses?
E se eu não for embora?



E se eu for embora?
Meu deus, se eu for embora... espero ter uma festa de despedida... seria legal, triste, terrivelmente triste, mas legal. Espero voltar vezemquando. Espero ainda ver certas pessoas (oh-quem-será?-não-sei-não-sei...) com freqüência. Meu Deus, e se eu for embora? Que vai acontecer. Finjo, a partir de agora, que eu não sei que também terá uma parte ruim...

E aí... o amor pode acontecer... de novo pra você...

Realmente estava na hora de eu escrever esses dois posts...

Será que é o contrário?

Mas ARTE. Dizer algo, mostrar algo, Beleza....

Arte...

Mas já não sei mais o que falar, então que seja.

Olha
Será que ela é moça
Será que ela é triste
Será que é o contrário
Será que é pintura
O rosto da atriz
Se ela dança no sétimo céu
Se ela acredita que é outro país
E se ela só decora o seu papel
E se eu pudesse entrar na sua vida

Olha
Será que é de louça
Será que é de éter
Será que é loucura
Será que é cenário
A casa da atriz
Se ela mora num arranha-céu
E se as paredes são feitas de giz
E se ela chora num quarto de hotel
E se eu pudesse entrar na sua vida

Sim, me leva para sempre, Beatriz
Me ensina a não andar com os pés no chão
Para sempre é sempre por um triz
Ai, diz quantos desastres tem na minha mão
Diz se é perigoso a gente ser feliz

Olha
Será que é uma estrela
Será que é mentira
Será que é comédia
Será que é divina
A vida da atriz
Se ela um dia despencar do céu
E se os pagantes exigirem bis
E se um arcanjo passar o chapéu
E se eu pudesse entrar na sua vida

1 Comentários:

Anonymous Carolina de Campos disse...

Como eu queria ser tua atriz ...beatriz... despencar do céu e quem sabe nem que seja por um momento apenas crusar meu olhar com o teu.....nossos olhares nunca se crusaram...
-------------------------------
não quero mais ser sua atriz menina.. quero ser sua atriz mulher!.....mas você nunca me enchergou ....minha existencia,para vc, não passa de um borrão esta mais para inexistencia....não sei pq ainda me importo....
a cada encontro teu descaso fica mais nitido. vc de tão inerte e teu problemapensamentos não viu quando meu vulto veio a seu encontro, carrengando dentro de si a esperança de encontrar em teu silencio um conforto...um amigo...um amante....

6/8/05 00:46  

Postar um comentário

<< Home