2.3.07

Pergunta à professora de história

Não dá pra pelo menos a gente ser neto do nosso tempo?

9 Comentários:

Anonymous Charles disse...

Não sei.. É uma questão meio angustiante não saber se podemos ou não escapar do tempo em que vivemos. Alguns historiadores acreditam que a vontade individual se sobrepõe à determinação da época. Eu gosto de pensar que somos livres assim, apesar de perceber que questões que nos preocupam são muitas vezes tão passageiras e voltadas aos interesses deste tempo...

3/3/07 14:08  
Blogger Artur disse...

olha, não sei se é tão ruim sermos filhos do nosso tempo. Afinal, eu sou filho dos meus pais e consigo me libertar da influência deles em muitos aspectos...

4/3/07 10:40  
Blogger Lobz disse...

Não sei não, Tu. Eu sou filha dos meus pais e cada vez mais afundo na influência deles, tendo somente os sonhos e os anseios em liberdade. Para escapar do nosso tempo (assim como para escapar dos nossos pais) teríamos que nos desprender de (ou, em outras palavras, ignorar) inúmeras preocupações (e ocupações) materiais e de curto prazo. Seria preciso que abdicássemos, ao menos temporariamente, da luta contra os males da atualidade, para que conseguíssemos encontrar o que há de sólido, de imutável, de natural, no nosso universo. E encontraríamos, provavelmente, muito pouco! Encontrando o que é mais humano na humanidade, poderíamos lutar para alcançar a humanização? Percebendo a efemeridade e pouca importância das batalhas atuais, será que as abandonaríamos? Será que teria qualquer sentido viver no mundo de hoje sem ser o homem de hoje?

Em réplica ao texto original: para sermos netos do nosso tempo, quem seriam nossos pais?

5/3/07 15:00  
Blogger Joel Pinheiro disse...

São os homens que fazem o tempo em que vivem.

Não existem idéias universais e eternas de "era romântica", "era totalitária" e outras que produziram mentalidades adocicadas no século XIX e partidários fascistas no século XX. Foram as pessoas dessas épocas que, agindo de tal modo, fizeram com que a época em que viveram fosse associada a tal modo de agir.

É a nossa percepção que realça as características humanas mais comuns ou dominantes em cada época, inclusive a nossa, e, com base nisso, forma uma impressão geral de cada uma.

Toda pessoa, na medida em que pensa e age, é "mãe de seu tempo". Se vai agir e pensar de acordo ou contra o consenso da maioria é, obviamente, decisão de cada um.
O fato é que, em qualquer tempo, existe todo tipo de pessoa, e a decisão de como agir está aberta a todos.

Desde se tornar monge cartuxo e fazer voto de silêncio quase absoluto, até se embebedar e se drogar 24h por dia, tudo está em aberto, e pessoas hoje em dia fazem essas escolhas.

6/3/07 16:07  
Blogger Utak disse...

bom yuri, é exatamente porque as pessoas fazem tais ações que são chamadas netas de seu tempo. É a grande maioria que decidirá o que o nosso tempo representou. São as ações da maior parte. Se todo mundo começar a cometer suicídio, mas você não, você diria que elas são netas, filhas mães de seu tempo, pois foi a "Era Suicida" sejá la o que seja isso.

Não podemos escapar da nossa época. Afinal, não importa o que fizermos, sempre seremos de nossa época. Seja nos desprendendo da influência dos pais ou seja prendendo-nos a época, tudo aconteceu e nós estamos arcando com isso. Nossos filhos arcarão com tudo que fizermos e assim continua o ciclo da vida.

10/3/07 18:45  
Blogger Pioux's disse...

Eu gosto da responsabilidade de representar o nosso tempo. E acho de certa forma que deveríamos ter orgulho de termos nascido no tempo em que nascemos e assim poderemos afirmar se fizemos alguma diferença. Estamos em um tempo de mudanças radicais.

26/3/07 17:08  
Blogger Muriel A. disse...

Juro que eu não entendo o que quer dizer " fugir do nosso tempo", já que somos nós mesmos que construímos a nossa época. Além disso, querer fugir pressupõe que teríamos de fato a possibilidade de criar algo novo ou diferente do que está aí e ainda, que isso seria melhor. Pra que essa mania de "fugir do nosso tempo", de fazer/ser completamente original(como se fosse possível), de recusar a influência dos nossos pais ou antepassados históricos? Desculpe, mas isso parece coisa de adolescente revoltadinho.

Talvez fosse mais adequado dizer que o tempo e a história são nossos filhos.

31/3/07 22:08  
Blogger Inominado ou Metanome ou um heterônimo (de-mim-mesmo) disse...

Este comentário foi removido pelo autor.

8/5/08 23:44  
Blogger Inominado ou Metanome ou um heterônimo (de-mim-mesmo) disse...

Mas todos esses comentários são filhos do seu tempo. Querer ser neto de seu tempo é um pensamento filho do seu tempo. Ou seja, o próprio querer fugir do seu tempo é um pensamento de seu tempo. Não há saída - Cronos é Cronos e é filho de seu tempo.

8/5/08 23:45  

Postar um comentário

<< Home